ivectin ivermectina quanox dosis can you buy ivermectin over the counter in nz levne revectina ivermectin 12 mg tablet price uses in hindi ivermectina loción escabiosis

Quimioterapia domiciliar

Tratamento em casa oferece comodidade e qualidade de vida para pacientes com câncer

Tão temido como receber o diagnóstico de câncer, o tratamento quimioterápico é recomendado para o tratamento de diversos tipos de câncer, assim como a cirurgia e radioterapia. O que pouca gente sabe é que as aplicações dos quimioterápicos podem ser feitas em casa, em um ambiente mais acolhedor para o paciente. “Antigamente os protocolos de quimioterapia exigiam até internação. Hoje, com advento das bombas portáteis, o paciente pode fazer o tratamento no conforto do lar, junto aos familiares”, destaca Patricia Guimarães, coordenadora da Farmácia do Centro de Oncologia da Bahia – Oncovida.

Em tratamento de um câncer no estômago, a biomédica Suzane Carvalho, de 23 anos, iniciou sessões de quimioterapia em setembro deste ano, após cirurgia para retirada do órgão e do baço. Na segunda fase do tratamento quimioterápico, ela evitou as duas internações mensais com a quimioterapia domiciliar. “O tratamento nunca é fácil mas, sem dúvida, é melhor do que precisar estar internada”, avalia a paciente. O esposo Felipe Carvalho reforça os benefícios da quimioterapia domiciliar. “Desde o início do tratamento, ela não parou de trabalhar, o que contribui para aumentar a auto-estima e tirar um pouco o foco da doença”, acrescenta.

A terapia domiciliar exige que o paciente se submeta a um pequeno procedimento cirúrgico para a colocação de um acesso central. Um dispositivo chamado portcath é colocado próximo à veia do pescoço do paciente, o que permite que a medicação seja liberada na dose e no intervalo certo, de acordo com a programação do especialista que acompanha o paciente. “O paciente não consegue mudar a dosagem ou programação”, acrescenta Guimarães. A bomba de infusão pode ser utilizada durante dois, cinco, sete ou 21 dias, de acordo com a prescrição médica, mas a agulha precisa ser substituída sempre no prazo máximo de uma semana, para evitar risco de contaminação.

Os possíveis efeitos colaterais, queda de pressão, do cabelo e alterações gastro-intestinais, como náuseas, vômito e diarréia, variam a depender do estado do paciente, mas é fato que eles reagem muito melhor ao tratamento no ambiente familiares, cercado pelo carinho e cuidados das pessoas que amam. “A medicação é a mesma o que muda é a qualidade de vida do paciente”, conclui o diretor médico da Oncovida, o oncologista Alberto Nogueira.

(15.12.2015)

Frente & Verso Comunicação Integrada
Jornalista Responsável: Fernanda Carvalho
fernanda@frenteeverso.com
Tel.: (71) 98105-9609

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Outros posts